Notícias

Dia Mundial da Hipertensão Arterial


Data de Publicação: 16 de maio de 2022


dia-mundial-da-hipertensao-arterial

   Nutricionista Enir Franke CRN- 2 3052

A hipertensão arterial é uma doença crônica, muitas vezes silenciosa no início, mas que, uma vez instalada, não tem cura. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, afeta em torno de 35% da população adulta brasileira e é caracterizada pela elevação dos níveis pressóricos acima de 140/90 mmHg (milímetros de mercúrio). Quando não tratada, é responsável pelas principais causas de morte, tanto no Brasil como no mundo todo.

   As principais consequências desta condição são as doenças cardiovasculares, como acidente vascular cerebral (AVC), infarto agudo do miocárdio (IAM), doença arterial coronariana, bem como insuficiência renal, problemas oculares, demência e outras condições clínicas. De acordo com pesquisas, em torno de 400 mil pessoas morrem por ano no Brasil em decorrência a um AVC ou IAM. Já nos Estados Unidos 2.200 pessoas morrem por dia em consequência destes eventos.

   Dentre os fatores de risco associados à hipertensão arterial, existem os que são modificáveis, como: tabagismo, uso abusivo de bebidas alcoólicas, sobrepeso, obesidade, sedentarismo, qualidade da dieta e ingestão excessiva de sódio. Vale ressaltar que atualmente, na maioria dos países do mundo, a ingestão de sal é cerca de 9 a 12g por dia, quantidade que está bem acima da recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 5g.

   Como fatores não modificáveis temos a idade e a predisposição genética, na qual vários polimorfismos genéticos (variações genéticas com frequência acima de 1% na população) estão envolvidos e constituem um forte componente. Podemos citar, como exemplo, a presença de polimorfismo no gene ECA (enzima conversora da angiotensina), que aumenta o risco de hipertensão arterial. A herdabilidade é estimada entre 25 a 60% nas populações em geral.

  “O homem é o que ele come”, já afirmava o filósofo alemão Ludwig Feuerbach, em 1948. E hoje, depois de tantos anos, cada vez mais esta afirmação se confirma com os avanços nas pesquisas na área desta linda e promissora ciência que é a Nutrição. Um dos maiores saltos nestes últimos anos foram os testes nutrigenéticos, que são preditivos e permitem conhecer os riscos do paciente de desenvolver diferentes doenças.

   Uma nutrição personalizada, ou seja, de precisão, com estratégias nutricionais voltadas ao DNA, pode ser mais eficiente e assertiva tanto para a prevenção e tratamento da hipertensão arterial como para muitas outras doenças, o que impacta de forma positiva na saúde, qualidade de vida e longevidade.  Vale lembrar que a nutrição de precisão é uma especialidade que foi reconhecida como uma das novas áreas de especialização do nutricionista pelo Conselho Federal de Nutrição (CFN) conforme a Resolução 689, de 04 de maio de 2021.

   Sabendo o quanto a hipertensão afeta tanto a qualidade de vida como a longevidade, e diante de tantas evidências científicas da influência de bons hábitos alimentares, as intervenções nutricionais e mudanças no estilo de vida devem ser implementadas o quanto antes.

   Um padrão alimentar bastante promissor é o padrão DASH (Dietary Approchesto stop Hypertension). Este orienta um adequado consumo de frutas, vegetais, grãos integrais, oleaginosas, laticínios com baixo teor de gordura e redução de alimentos com alto teor de gordura (principalmente a saturada), redução do sódio, aumento de alimentos fontes de potássio, redução ou exclusão de doces e bebidas açucaradas, bem como manutenção de um peso saudável, controle do estresse, boa qualidade de sono e prática regular de atividade física.

   Os nutricionistas têm a maravilhosa e importante missão de promover a saúde das pessoas por meio dos alimentos.

   É fundamental que a profissão seja exercida com amor, seriedade e competência, para que esta ciência brilhe cada vez mais! Alimentação adequada é a base para uma vida saudável!

Nutricionista Enir Franke CRN- 2 3052

- Graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Pelotas

- Especializada em Nutrição Clínica pela Universidade Federal do Paraná

- Especializada em Nutrigenética e Nutrigenômica na Prática Clínica pela Faculdade Unyleya

- Curso de capacitação em Nutrigenômica pelo Nutrigenômica descomplicada – Mentora Cecília Rios

- Curso Formação em Modulação Intestinal – Professor Murilo Pereira

- Curso Pipeline da Nutrição de Precisão pela Cromatina Cursos - Mentora Tatiane Fujji

- Membro do Clube da Cromatina – Mentora Tatiane Fujii

- Membro do Grupo de Estudos em Nutrição de Precisão – Mentora Tatiane Fujji

- Experiência em Nutrição Clínica em Hospital por 11 anos

- Atuação em consultório particular desde 1996 até o presente momento.